Atualizar a tabela de outra tabela

Relação de leitos e casos graves no Brasil em diversos cenários

2020.03.27 00:14 Rudozera Relação de leitos e casos graves no Brasil em diversos cenários

Relação de leitos e casos graves no Brasil em diversos cenários
Essa é uma atualização grande do meu ultimo post " Dados e estimativas sobre o novo coronavírus no Brasil". Agora trazendo o que eu havia comentado, além das relações trazidas anteriormente. As partes novas estarão dispostas após o texto atualizado das informações anteriormente postadas, então se você já viu meu post anterior e quiser ver o andamento, avance para o final do texto.
Olá, coletei dados das entidades governamentais ou da OMS sobre demografia e saúde no Brasil. Com isso montei uma tabela no excel e gerei uma curva estimando o crescimento do surto no Brasil com R²=0,9971 (o que significa que é 99,71% confiável) com uma equação polinomial e R²=0,9904 (o que significa que é 99,04% confiável) com uma equação exponencial . Deixo aqui disponibilizado para vocês analisarem. Provavelmente alguém já fez algo parecido, mas eu não encontrei nenhum do jeito que eu gostaria de ver e atualizável. Todos os dados são facilmente atualizados, mudando os valores originais. Junto vem algumas estimativas de infecção e relação com o numero de leitos. Posso fazer um novo gráfico relacionando o número de casos com o numero de leitos no Brasil, mas eu só vou fazer isso se alguém demonstrar interesse (fiz e está no final deste post). Todas fontes estão ao lado do dado. Segue em anexo link do arquivo do excel.

Figura 1 - Relação de população idosa e total e taxa de mortalidade pelo vírus juntamente com a disponibilidade de leitos totais

Figura 2 - Relação de população idosa e total e taxa de mortalidade pelo vírus juntamente com a disponibilidade de leitos disponíveis e gráfico com linhas de tendencias e suas devidas equações (atualizado no dia 25/03).
Agora a parte nova do post
Na última live, o Atila mostrou o gráfico de alguns possíveis cenários de infecção para a população inglesa (Figura 3), comentando também que não havia ainda um gráfico como aquele para o Brasil. O gráfico se trata de uma proporção de número de casos graves por número de leitos. Hoje o Brasil tem uma proporção de 2,6 leitos a cada 10.000 habitantes, tendo apenas 22% desses disponíveis (segundo o ministério da saúde). Talvez já exista um gráfico assim regionalizado, mas eu estou aqui disponibilizando um, feito do 0, e com todos os dados checáveis, para os céticos. Também trouxe algumas perspectivas de tempo de infecção total da população em possíveis cenários de redução de potencial infeccioso do vírus.

Figura 3 - Gráfico mostrado na live do Atila no dia 20/03/2020

Figura 4 - Gráfico mostrando a progressão do número de casos totais por dia com base na equação exponencial apresentada na Figura 2, à uma taxa de 100% de infecção (ou seja, sem adotar quaisquer medidas de prevenção não farmacológicas).

Figura 5 - Gráfico mostrando a progressão do número de casos totais por dia com base na equação exponencial apresentada na Figura 2, à uma taxa de 80% de infecção (ou seja, adotando medidas de prevenção não farmacológicas, resultando em um decréscimo de 20% na taxa de infecção).

Figura 6 - Gráfico mostrando a progressão do número de casos totais por dia com base na equação exponencial apresentada na Figura 2, à uma taxa de 50% de infecção (ou seja, adotando medidas de prevenção não farmacológicas, resultando em um decréscimo de 50% na taxa de infecção).

Figura 7 - Gráfico mostrando a progressão do número de casos totais por dia com base na equação exponencial apresentada na Figura 2, à uma taxa de 20% e 10% de infecção (ou seja, adotando medidas de prevenção não farmacológicas, resultando em um decréscimo de 80% e 90% na taxa de infecção).

Figura 8 - Gráfico mostrando a progressão do número de casos totais por dia com base na equação exponencial apresentada na Figura 2, à uma taxa de 1% de infecção (ou seja, adotando medidas de prevenção não farmacológicas, resultando em um decréscimo de 99% na taxa de infecção).

Figura 9 - Relação de número de casos por leitos disponíveis ( contabilizando hospitais particulares e SUS) caso o vírus infecte 100% da população, ou seja, nenhuma medida de prevenção não farmacológica sendo adotada. O primeiro gráfico mostrando o valor numérico de casos que necessitam, obrigatoriamente, de leitos e o segundo mostrando a proporção de pessoas por leito ao longo dos dias de surto (infectados na linha azul e numero de leitos na linha laranja).

Figura 10 - Relação de número de casos por leitos disponíveis ( contabilizando hospitais particulares e SUS) caso o vírus infecte 80% da população, ou seja, adotando um mínimo de medidas de prevenção não farmacológicas. O primeiro gráfico mostrando o valor numérico de casos que necessitam, obrigatoriamente, de leitos e o segundo mostrando a proporção de pessoas por leito ao longo dos dias de surto (infectados na linha azul e numero de leitos na linha laranja).

Figura 11 - Relação de número de casos por leitos disponíveis ( contabilizando hospitais particulares e SUS) caso o vírus infecte 50% da população, ou seja, adotando um número razoável de medidas de prevenção não farmacológicas. O primeiro gráfico mostrando o valor numérico de casos que necessitam, obrigatoriamente, de leitos e o segundo mostrando a proporção de pessoas por leito ao longo dos dias de surto (infectados na linha azul e numero de leitos na linha laranja).

Figura 12 - Relação de número de casos por leitos disponíveis ( contabilizando hospitais particulares e SUS) caso o vírus infecte 20% da população, ou seja, adotando muitas medidas de prevenção não farmacológicas. O primeiro gráfico mostrando o valor numérico de casos que necessitam, obrigatoriamente, de leitos e o segundo mostrando a proporção de pessoas por leito ao longo dos dias de surto (infectados na linha azul e numero de leitos na linha laranja).

Figura 13 - Relação de número de casos por leitos disponíveis ( contabilizando hospitais particulares e SUS) caso o vírus infecte 10% da população, ou seja, adotando muitas medidas de prevenção não farmacológicas. O primeiro gráfico mostrando o valor numérico de casos que necessitam, obrigatoriamente, de leitos e o segundo mostrando a proporção de pessoas por leito ao longo dos dias de surto (infectados na linha azul e numero de leitos na linha laranja).

Figura 14 - Relação de número de casos por leitos disponíveis ( contabilizando hospitais particulares e SUS) caso o vírus infecte 1% da população, ou seja, adotando muitas medidas de prevenção não farmacológicas. O primeiro gráfico mostrando o valor numérico de casos que necessitam, obrigatoriamente, de leitos e o segundo mostrando a proporção de pessoas por leito ao longo dos dias de surto (infectados na linha azul e numero de leitos na linha laranja).

Figura 15 - Gráfico mostrando diretamente a relação do número de casos por leito, dependendo do número de novos casos evitados. Onde a linha laranja representa 100% de infecção, a linha cinza 80%, a linha amarela 50%, a linha azul clara 20%, a linha verde 10% e a linha azul escura 1%.

Observação 1: A linha de tendência ,a equação e o R² só podem ser visualizados se o arquivo for baixado, o resto da pra ver no drive mesmo.
https://drive.google.com/open?id=1qzh49_uZd0ycsHEK0UVjLHDkbZWV9mcp
Observação 2: Os números da Figura 1 e 2 refutam a fala do dia 24/03, do presidente acerca da gravidade dos casos. Mostrando que no cenário atual, mesmo que apenas os idosos com casos graves (a ponto de levar à morte), considerando 20% de infecção dos mesmos, utilizando os leitos vagos dos hospitais particulares juntamente com os do SUS, ainda assim haveriam cerca de 5 vezes menos leitos do que o necessário.
Observação 3: Eu não sou formado em nada que me capacite para divulgar esses dados cientificamente, considerem apenas como matemática e não como um estudo. Tenho apenas 4 semestres de engenharia ambiental na UnB e dois de arquitetura também na UnB. Mas como meu foco é no urbanismo eu não deixo de me informar e pesquisar sobre assuntos que afetem a ocupação do solo pelas pessoas. O isolamento por causa do corona vírus afeta diretamente o uso da cidade pelas pessoas e esse é meu foco de estudo.
Observação 4: Para a relação com o número de leitos, foram contabilizados apenas os casos que levam a morte, pois esses necessariamente necessitam de leitos de UTI. Outra coisa que vale a pena ressaltar é que os leitos que não são do SUS, são os leitos de hospitais particulares.
Observação 5: Para a criação dos gráficos das figuras 9 a 15, foi considerado um ciclo de 14 dias do vírus, onde os casos são resolvidos (ou por cura ou por morte) a cada 14 dias.
Observação 6: Os gráficos das figuras de 9 a 15, explicitam o impacto de medidas não farmacológicas no combate à prevenção do vírus.
Observação 7: Minha ideia com esse post é trazer uma base onde os dados poderão ser alterados para dependerem da realidade atualizada a cada dia. Não pretendo atualizar diariamente esse post, apesar disso. Meus estudos apresentados aqui estão sendo também compartilhados com os membros do discord e com os professores da UnB.
Observação 8: Os dados da figura 1 também revelam que mesmo que as pessoas abaixo de 60 anos tenham taxas menores de mortalidade pelo vírus, em valor esses números superam a população idosa do Brasil, justamente por ter muito mais pessoas não idosas.
Qualquer dúvida sobre os dados mandem nos comentários aqui em baixo que vou tentar responder todos (se tiver algum).
submitted by Rudozera to coronabr [link] [comments]


2018.12.14 10:40 camponez Projeto Brasileiropédia

O Brasileiropéida é um projeto para registrar os jogos e números do Campeonato Brasileiro de Futebol (Masculino, Feminino) de todas as séries (A, B, C, D).
O projeto é inspirado em projetos como Cruzeiropedia.org e Grémiopedia.com e assim como eles vamos usar o Mediawiki.
Sim, já existe o registro de (alguns) números na Wikipédia, mas a ideia do projeto é registrar coisas que a Wikipédia não permite: A ficha dos jogos.
Outra vantagem do Brasileiropédia é que os números retirados das fichas (número de jogos, vitórias, publicos, etc etc) serão atualizados automaticamente uma vez que as fichas estiverem cadastradas.
Por exemplo, ao registrar um novo jogo na Wikipédia, é necessário atualizar também a tabela de classificação e artilharia. No Brasileiropédia, uma vez a ficha corretamente cadastrada, todo o resto (vitórias, empates, derrotas, saldo de gols, quem jogou, quem fez gol, quem jogou por qual time, etc etc) se atualizaria automaticamente.
Para isso precisamos de voluntários!
Entre em contato conosco por email ou twitter para que sua conta seja criada e você possa nos ajudar. Quem souber criar uma logo, precisamos urgente! :)
Aguardamos o contato.

Edit1: Mesmo que não se interesse em editar, divulgue o projeto para que possa chegar aos ouvidos de quem gostaria de colaborar, mas não viu esse post. A nossa cobertura de times que disputam divisões que não tem cobertura da mídia será a mesma, desde que tenhamos voluntários!
Edit2: correção de palavra
submitted by camponez to futebol [link] [comments]