Sinais uma amiga gosta de você mais do que um amigo

Gostaria muito de discutir a questão trans mas tenho medo de ser tirada de transfóbica.

2019.07.24 17:17 Balinoiss Gostaria muito de discutir a questão trans mas tenho medo de ser tirada de transfóbica.

Meu nome é Luiza, sou estudante de arte, 25 anos e tenho muito medo de puxar qualquer discussão sobre esse assunto e perder amigos e ser taxada de transfóbica simplesmente por querer debater o assunto para tentar entender melhor. Convivo em um meio em que muitas pessoas se identificam de diversas formas, mas pouquíssimas ou nenhuma se propõe a debater essas questões de forma racional, sem levar pro lado pessoal ou achar que por eu não concordar 100% eu estou "matando pessoas trans".
Vou tentar fazer um resumo de como essa questão se desenvolveu em mim. Alguns anos atras eu estava viajando com uma das minhas melhores amigas desde a infância que é lésbica. Estávamos em um restaurante com a familia dela e em algum momento do jantar a irmã dela falou algo sobre "homens com roupa de mulher" se referindo a pessoas trans. Eu - que sempre fui declaradamente uma defensora das diferenças - na hora chamei a atenção dela sobre estar sendo transfóbica e já taxei ela ali mesmo. Logo depois fomos ao banheiro eu e minha amiga e eu comecei a falar com ela sobre a irmã estar sendo transfóbica e como isso era ruim e perigoso. Na hora, minha amiga olhou pra mim e disse "Mas Luiza, o que é ser mulher? É usar rosa? É ser delicada e maquiada? É usar calcinha?" E eu fiquei com cara de tacho. Ali eu percebi que mesmo sendo mulher a 22 anos, nunca tinha me questionado sobre o que é a condição mulher e nem sobre o que fazia com que uma mulher fosse uma mulher. Em outras conversas ela me contou sobre a ex, que é uma mulher que não se encaixa nos padrões de gênero e por causa disso (por usar roupas consideradas "masculinas" pela sociedade) ficava ouvindo de várias pessoas no meio LGBTTQAI+ que ela era trans. A ex dela nunca aceitou isso e se afirma como uma mulher que pode se expressar como bem entende pois não acredita em "coisa de menino/coisa de menina"
Desde muito pequena (a primeira memória é dos meus 4 anos) eu sempre fui chamada de "Maria João", "mulher-macho", "sapatão" e todos os derivados disso por não seguir a risca a cartilha "feminina" e ser um pouco mais moleca. Eu simplesmente não me sentia bem com toda aquela pressão sexual nem com essa frufruzagem florida e cor de rosa que era empurrada goela abaixo das meninas pra no final tudo ser avaliado na competição de quem é mais bonita (desejável) do que a outra. Passei a vida inteira tendo que ouvir das pessoas que elas tinham certeza de que eu era lésbica pelo meu jeito de ser e de vestir, e sempre tive que explicar que nada disso fazia sentido, pois também não acredito na "cartilha da feminilidade"
O tempo passou e eu mantive essa questão sem muito desenvolvimento dentro de mim, até que comecei a andar com muitas pessoas que se identificam como "mulheres trans", e mesmo que na hora eu não percebesse, me incomodava aquela reprodução dos estereótipos do que é "ser mulher" por parte daquelas pessoas. Sempre extremamente sexualizadas, sempre reproduzindo padrões de roupas, de fala, de "interesses", até que eu comecei a pesquisar na internet canais de youtube de pessoas que falavam sobre o assunto pra tentar entender como essas pessoas definiam o que as fizeram se enxergar como mulheres, já que eu mesma nunca tinha conseguido definir o que era ser mulher pra mim (descartando a definição biológica). Percebi que em TODOS os casos que eu tive acesso eram sempre as mesmas questões: "eu via minhas primas brincando de boneca e com cabelos longos e queria isso também", "eu queria usar vestidos e chorava pedindo brinquedos como os da minha irmã", "eu sempre amei usar maquiagem e detestava esportes". Vi até gente que dizia que "simplesmente sentia-se como uma mulher" sem saber explicar como era isso, e eu, que nunca percebi nada dentro de mim que me fizesse "sentir que era uma mulher" passei a perceber como isso era complicado. Tudo que eu passei na vida em questão de sofrer com o machismo, ou de ser discriminada por não ser feminina o suficiente era em decorrência de ter nascido com uma xoxota. Essa xoxota me fez ser exigida ser sempre linda, ser recatada e "do lar", ser vista como menos capaz, tudo isso vem de brinde com uma xota, então como uma pessoa que nunca passou por isso pode dizer que "se sente uma mulher" só porque gosta do estereótipo feminino? Mulher é uma minoria social, por isso é muito complicado quando alguém quer entrar nesse grupo sem vivência nenhuma alegando simplesmente "se sentir parte". Costumo fazer um paralelo com a questão negra: Negros são uma minoria social, você pode se identificar com estereótipos negros, com a estética das culturas ligadas ao povo negro, mas NUNCA uma pessoa branca vai poder dizer que "se sente negro" e que por isso É negro, porque essa pessoa não tem a VIVENCIA do que é ser negro.
Entendo que uma pessoa que não se adequa ao gênero que foi designado ao nascer seja também uma minoria e que tenha uma vivência completamente diferente de quem é "cis", mas isso não faz com que a pessoa saiba como é a vivência do outro. Um menino que quer usar maquiagem não tem a mesma vivência de uma menina que se não usa maquiagem é tida como desleixada e feia. Mulheres trans pedem pelo direito de fazer coisas que aprisionam mulheres a séculos, coisas das quais as mulheres querem se libertar. Enquanto vejo videos no youtube de mulheres trans dizendo que lutaram pelo direito de saírem maquiadas na rua, vejo amigas que choram e não conseguem ter relacionamentos íntimos por medo de que as pessoas as vejam sem maquiagem e as achem feias. São pautas diferentes, não são a mesma coisa, e dizer que são não é vantagem pra ninguém pois atrapalha na identificação e nomeação de tais problemas para ambos os lados.
As páginas que disseminam conteúdo transativista têm muitas contradições, por exemplo: Cartilhas para "identificar sinais de que seu filho é trans" contém pontos como "perceber se a criança tem interesse por brinquedos e roupas designadas para o outro gênero" - mas ué... então eles acreditam em coisas para menino e coisas para meninas??? Isso não é exatamente reforçar os estereótipos de gênero? O órgão sexual define como a pessoa pode se expressar? Uma pessoa que não se adequa a esses estereótipos precisa então ser tratada com hormônios e fazer uma cirurgia para que seu corpo se adeque a esses estereótipos? Detestar o próprio corpo? Se o menino é "feminino" e a menina é "moleca" então isso é sinal de que ela "nasceu no corpo errado"?? Errado não é dizer pra essas crianças que elas precisam se encaixar nisso? Não é muito mais desafiador das estruturas patriarcais um homem que se afirma como homem e diz que homem pode usar o que quiser e continua sendo homem? Dizer que tem que ser mulher para gostar de coisas "femininas" não é exatamente anti diversidade?
Eu acredito que o Gênero é uma cartilha de regras que te entregam assim que você nasce pra te dizer que como a sociedade capitalista quer que você se comporte para que as estruturas se perpetuem, portanto precisamos questionar isso, mostrar que cada pessoa se expressa a sua própria maneira, e que ninguém deveria ter que se encaixar em caixinhas de comportamento.
Esses dias eu vi uma frase que achei muito explicativa, e pela qual uma professora americana foi rechaçada nessa última semana : Ser mulher não é ter uma "personalidade feminina" e qualquer corpo, mas sim ter qualquer personalidade e um corpo feminino. Essa frase pode ser usada para "ser homem" também.
Apesar dessa confusão eu sempre respeito os pronomes e nomeclaturas, e na verdade eu nem mesmo expresso nada desses questionamentos e acima de tudo trato a todos com muito respeito. Acredito que a única forma de chegarmos todos num consenso é conversar e debater, mas esse assunto mexe muito com traumas e com rejeição, então fica difícil que as pessoas consigam conversar sobre sem se sentirem atingidas pessoalmente e portanto o debate fica praticamente inviabilizado. É muito triste isso, e tem consequências sérias na vida de muita gente, pois mulheres são caladas, invisibilizadas, crianças são confundidas e encaixadas mais ainda nas caixinhas e ninguém pode falar nada pois se não é visto como transfóbico causador de mortes. Mesmo questionando a questão eu sempre vou ser partidária do respeito e anti qualquer tipo de violência.
Minha questão não é que as pessoas parem de se expressar como querem, mas que possam se expressar sem que isso faça com que a pessoa precise tomar remédios pro resto da vida, passar a negar e odiar o próprio corpo e principalmente que a questão das mulheres serem oprimidas principalmente pelo fato de serem geradoras de novos seres humanos e por isso precisarem ter sua sexualidade e subjetividade controladas não seja apagada pelo discurso de que "existem mulheres de pinto", pois a única coisa que TODAS as mulheres tem em comum é serem controladas por possuírem xoxota, e nada mais. Não é cor de rosa, não é calcinha, não é maquiagem nem unha grande.
Espero não ter ofendido ninguém com essa postagem, eu só precisei mesmo colocar isso pra fora porque vi uma postagem de um amigo trans dizendo que ia "desenhar pra quem não entendeu" e seguia uma série de imagens na qual a primeira dizia que uma drag queen era um homem que se expressava artisticamente com "signos de mulheres" com a foto da Pablo Vittar ( de maiô, cabelo de baby liss loiro e maquiagem ) e na hora veio um "CARALHOOOW ENTAO Q PORRA É SER MULHER???" na cabeça. Enfim, esse foi o desabafo, se alguém quiser debater ( com respeito) eu vou ficar muito feliz, porque de forma alguma tenho a pretensão de dizer que minha visão é a correta e pronto, estou muito aberta a mudar de opinião, mas pra isso é preciso um debate que seja coerente e baseado em fatos.
submitted by Balinoiss to brasil [link] [comments]


2018.07.24 19:20 albfreitas 10 Comportamentos Estranhos de um Autêntico Empata

u/albfreitas
Autêntico Empata. Você descobriu que você pode ser um empata e quer saber os sinais exatos

Autêntico Empata

– nem tudo é ruim, você sabe! Depois de aprender os truques da proteção psíquica, você achará muito mais fácil navegar neste mundo sem ser energeticamente pressionado o tempo todo.

1. Você assume a energia de outras pessoas

Você realmente não pode evitar.
Este é o traço chave do empata.
– você pode sentir essa raiva literalmente queimando sua aura.
Alguém é negativo e temeroso
– você afunda com eles, e parece que você não pode evitar!
Soa familiar?
A boa notícia é que, quando você se conscientizar de que isso não é normal (os não-empáticos não fazem nada disso), então você está a meio caminho de encontrar uma solução para isso. Quem quer estar vibrando com as emoções das outras pessoas o dia todo?
É cansativo.

2. Intuição Natural Alta

Você tem intuição em espadas, mas não é todo mundo?
Na verdade não, como um empata você tem habilidades únicas que os outros não parecem ter.
Ser um empata é um pouco como ser inteligente, exceto pelo fato de que os clientes sensíveis percebem as coisas sem “pegar” a emoção.
Como um empático, como um clarisciente, você sente as coisas psiquicamente.
Você sabe o que os outros estão sentindo apenas olhando para eles.
Você conversa com eles e pode conhecer suas intenções sem ouvi-los de seus lábios.
Você entende como eles estão pensando, como se fossem uma extensão de si mesmo. Isso é fácil.
Você sabe o que você sabe. Sua intuição dispara em todos os cilindros.

3. As pessoas drenam você facilmente

Isso pode ser um problema para você.
Quando em torno de outras pessoas, você está dando tanto que você enfrenta emoções ou problemas, mas fica cansado como resultado disso.
Se você está fazendo isso todos os dias, voluntariamente dando energia para ajudar os outros, você descobre que não tem muita coisa para si mesmo.
Você se torna cada vez mais esgotado e talvez irritado, irritado ou sentindo-se francamente usado.
Algo tem que dar.
A resposta é recuar e parar de se entregar tão facilmente.
Somente dê para aqueles que têm o direito de tomar, como suas pessoas próximas. Tome mais tempo para si e mime-se. Coloque-se em primeiro lugar por um tempo.

4. Você atrai pessoas quebradas

Outras pessoas podem sentir dando às pessoas e tentar iniciar uma amizade.
As pessoas podem se aproximar de você em locais públicos, no trabalho, etc, porque você está enviando uma mensagem para o universo que você vai dar tempo a estranhos, ouvir e oferecer-lhes algum alívio. Isso é legal, não é?
Talvez até você ficar sem tempo e energia.
Quando um empático começa a ignorar estranhos com problemas, como mágica, eles param de se aproximar de você.
Eles não sentem que você está aberto para os negócios, com um grande ombro para eles chorarem.
Esta atividade irá parar.
Você não foi colocado nesta terra para curar todas as pessoas que vêm em seu caminho (veja o ponto 3 para o porquê).

5. Multidões Afetam Você

Isso pode parecer estranho, mas não com empatia.
Salas lotadas, eventos, ruas ou festas podem enviar seus sentidos para uma confusão enorme e sobrecarregada, com emoções simultâneas vindo de todas as direções.
Soa como um pesadelo, sim?
Com a blindagem correta (recomendo o uso de pedras de proteção), essa energia é praticamente anulada.
Você pode sentir o humor das pessoas ou a energia predominante enquanto elas passam por você.
Uma pessoa agressiva passando pode sentir um soco energético ou dar um tapa na cara ao passar por você. Uma alma mais suave não emitirá tal soco e parecerá quieta em comparação.

6. A localização da vida é importante

Alguns empatas podem sentir a dor do mundo, como uma maldição.
Outros estão conscientes da energia da cidade ou da vizinhança em que vivem.
Muitos empates acabam vivendo em áreas menores, onde a energia da população é menor.
Vivendo em uma área muito animada, como uma área jovem e quadril, ou uma área de crime, ou uma área densamente povoada, pode drenar o empata.
Como um empata, você não ama apenas um país caminhando em um lugar solitário para recarregar essas baterias?

7. Você é muito sensível

Isso é um dado. Você não gosta de ver qualquer coisa viva em dor ou sofrimento porque sofre ao lado deles.
Alguns empáticos podem até sentir sintomas físicos coincidindo com o que os outros estão passando.
Se a violência na TV for extrema, você pode simplesmente mudar de canal.
Se houver uma cena desagradável, uma discussão ou alguém estiver sendo intimidado, você pode até sair da sala se não puder ajudá-los.
Você não quer ver ou sentir isso.

8. Você pode ver muitas mentiras

“Mentiroso, mentiroso, calças em chamas”.
Este fica velho, não é? Você sabe que eles estão mentindo.
Você não sabe como, mas você sabe disso imediatamente.
Eles não podem ver que você é um empata?
Quem eles pensam que estão enganando?
Você agüenta isso e não deixa transparecer, porque nem sempre é possível provar isso.
Mas você sabe em quem confiar e quem não deve.
É fácil na verdade.
Essas mentiras são tão juvenis.
  1. Cura emocional é seu presente
Através de sua compaixão e tempo gasto entendendo as aflições dos outros, você está curando-os.
Sim, este é um dos seus dons.
Este relaciona-se com o ponto 4.
É por isso que você atrai todas as pessoas que querem a cura.
Você pode realmente ajudar seus entes queridos através de dar este dom de ouvir e verdadeiramente compreensão e carinho.
Nem todo mundo faz isso para as pessoas. Use este presente quando for necessário.
Você aprenderá quem curar e quem sair.
Mas Algumas pessoas vão se curar e depois seguir em frente e chutar você nos dentes.
Discernir quem são seus amigos verdadeiros antes de oferecer este presente incrível.
Você tem algo real para oferecer ao mundo, então entenda o seu valor, mas porque vale muito a pena.
Não se subestime se você é um empata.
As pessoas matariam para serem suas amigas e curariam cada vez que conversarem com você.
Mas então você já sabe disso. Portanto, mas tenha cuidado com quem são seus verdadeiros amigos e quem apenas quer receber seu presente.

10. Os empáticos ignoram seus próprios problemas

Por fim, você é um especialista em ignorar seus próprios problemas, mas sobre os quais precisa falar.
Você está tão ocupado curando os outros que nunca consegue falar o que precisa.
Você carrega o peso de seus problemas junto com os seus. Mas Quando é o seu tempo de cura?
Você sabe que é forte e ótimo com problemas, mas você está suprimindo todas as suas próprias coisas, em favor de ajudar todos os outros?
Você pode dispensar isso e nem perceber.
Mas, certamente, em algum momento ou outro, você pode se encontrar em colapso.
Todas essas emoções reprimidas e problemas têm que surgir para a cura em algum momento.
Aprenda a cuidar de seus próprios problemas quando eles surgirem.
Não os coloque dentro de você para que você possa cuidar dos outros sem parar.
Tire um dia, diabo uma semana, para resolver-se como você vai. Mas Desta forma, você não vai derreter, explodir ou quebrar em algum momento no futuro.
submitted by albfreitas to brasil [link] [comments]